UNIDOS PARA O BEM COMUM

Caros colegas, estamos próximo ao fechamento do primeiro semestre de 2018 e muitas coisas já aconteceram em tão pouco tempo.

Tivemos, recentemente, a reelei√ß√£o da diretoria da FUNCEF, a quem desejamos sucesso, e aproveito tamb√©m o momento para agradecer a todos pelo apoio √† Chapa 2 Juntos pela FUNCEF. Neste ano, conseguimos criar o senso de urg√™ncia em rela√ß√£o √† import√Ęncia de conhecermos e entendermos mais sobre nosso plano de previd√™ncia, despertar o conhecimento e a educa√ß√£o previdenci√°ria para nos fazermos correspons√°veis pela hist√≥ria futura e entendermos e aprendermos com os erros do passado. Infelizmente, ainda o percentual de colegas mais jovens votantes foi muito baixo e, mais uma vez, como l√≠deres educadores, cabe a n√≥s a orienta√ß√£o e o despertar nos colegas deste senso de import√Ęncia e urg√™ncia. Trata-se do futuro de todos n√≥s.

Temos uma luta muito grande e importante no que se refere ao Sa√ļde CAIXA e √† vig√™ncia das Resolu√ß√Ķes da Comiss√£o Interministerial de Governan√ßa Corporativa e Administra√ß√£o de Participa√ß√Ķes Societ√°rias da Uni√£o ¬Ė CGPar que estabelecem diretrizes e par√Ęmetros de governan√ßa e custeio dos benef√≠cios de assist√™ncia √† sa√ļde das estatais e empresas p√ļblicas federais com altera√ß√Ķes importantes que n√£o nos beneficiam, ali√°s, nos retiram direitos. A mais lesiva a n√≥s √© a Resolu√ß√£o 23 que define a paridade na coparticipa√ß√£o, valores das mensalidades vari√°veis por faixa et√°ria e direito restrito √† vig√™ncia do contrato de trabalho. Estes e outros pontos devem ser amplamente debatidos considerando a relatividade do direito adquirido e ao que a CAIXA definir√° com as orienta√ß√Ķes de aplica√ß√£o imediata expressas no of√≠cio 146/2018 dirigido aos presidentes das empresas estatais federais pela Secretaria de Coordena√ß√£o e Governan√ßa das Empresas Estatais ¬Ė SEST. Precisamos estar inteirados do assunto e unidos com todas as entidades afins para um BEM comum.

Um assunto que a nossa AGECEF/SP e a FENAG tratar√£o, em breve, com a presid√™ncia da CAIXA e a vice-presid√™ncia de Pessoas ser√° a descaracteriza√ß√£o do processo de feedback e a aplica√ß√£o indiscriminada de MO por baixo desempenho. H√° casos incoerentes e paradoxais ao modelo de avalia√ß√£o que a Empresa tem como par√Ęmetro. Infelizmente, alguns gestores est√£o agindo de forma a gerar terrorismo e acabar com a motiva√ß√£o e autoestima das pessoas. As den√ļncias s√£o muitas e estamos tomando as devidas provid√™ncias junto √† diretoria da CAIXA, para inibir estas pr√°ticas. Nossos desafios di√°rios j√° s√£o enormes e ter sempre o receio de receber um MO de forma subjetiva e sem par√Ęmetros pode acabar com a sa√ļde mental e corporal de todos n√≥s. Caso aja alguma pr√°tica neste sentido, tenha recebido um MO sem ter entendido o feedbacK ou este n√£o tenha embasamento normativo para ser aplicado, fale conosco de imediato. N√£o podemos ficar omissos.

Por fim, uma boa not√≠cia: a AGECEF/SP vem firmando novas parcerias com renomadas institui√ß√Ķes educacionais que s√£o refer√™ncias no mercado em que atuam propiciando sua economia e acesso facilitado √† educa√ß√£o formal de qualidade.

Acompanhe as novidades em nossos canais.

Ed Marcos Saba
Presidente da AGECEF/SP